Associação Fala Mulher

Atuamos na defesa e garantia dos direitos humanos, com especialidade no enfrentamento à violência contra a mulher.

Email: falamulher@falamulher.org.br

Tel.: (11) 3271-7099 Sede Administrativa 

Rua Álvaro Nunes, 184 - Campo Belo

São Paulo/SP   |   CEP 04612-070

CNPJ: 06.256.776/0001-53

(11) 97186-6687

Assessoria de imprensa

e Parcerias

CONHEÇA NOSSOS APOIADORES
phoca_thumb_l_logo-smads-04.2014_ok.jpg
cioeste.jpg
Hosmil.png
mary kay.png
Utopiar.jpeg
desinchá.png
Logo Inovaria.png
WhatsApp Image 2019-10-09 at 11.41.36.jp
LOGIBIRA.jpg
Chiquiteira.jpg
MorganTaylor_logo_1C.jpg
Mecalor.png
53d79cd4fd.png
POLEN_FINAL-01 (1).png

© 2019 por Associação Fala Mulher. Criado com Wix.comTermos de Uso  |   Política de Privacidade

Buscar
  • Associação Fala Mulher

Zona sul de SP lidera o número de notificações de agressão a mulheres

Vanessa Molina, gerente e porta-voz da Associação Fala Mulher, também considera que os casos podem ser maiores do que os mostrados na pesquisa.

Por Priscila Gomes


Pesquisa da Rede Nossa São Paulo mostra que Jardim São Luís teve mais de 100 casos no ano de 2017; o número de denúncias aumentou 58 vezes em relação a 2016. A cada 10 mil mulheres de 20 a 59 anos que moram no distrito de Jardim São Luís, na zona sul, 100 delas denunciaram ter sido vítimas de agressão ao longo de 2017. A região lidera o número de casos na cidade de São Paulo, segundo dados recentes do Mapa da Desigualdade, divulgado em novembro de 2018 pela Rede Nossa São Paulo. Logo atrás segue o Itaim Paulista, no extremo leste, com 68,69 notificações.


“Há informação chegando para as mulheres sobre o que é a violência doméstica, suas cinco modalidades, a criminalização dos fatos e possibilidades de apoio e ajuda profissional para superar a violência sofrida e resgatar sua vida”

Vanessa Molina, gerente e porta-voz da Associação Fala Mulher, também considera que os casos podem ser maiores do que os mostrados na pesquisa. “O número de denúncias é muito inferior à realidade em que as mulheres estão submetidas. Apesar de muitos avanços como a lei Maria da Penha e a lei do Feminicídio, ainda há lacunas a serem cobertas”, diz. De acordo com a gerente, muitas são as razões que fazem com que a mulher evite a denúncia: medo, vergonha, dependência financeira, falta de credibilidade no sistema judiciário, bem como a falta de apoio familiar, apoio social e de políticas públicas. Por outro lado, com a lei Maria da Penha e através dos movimentos feministas, a questão da violência contra a mulher tem tido mais evidência em discussões, reflexões e, principalmente, informação, o que leva ao aumento no número de denúncias.


Leia a matéria completa em:

https://32xsp.org.br/2019/01/16/zona-sul-de-sp-lidera-o-numero-de-notificacoes-de-agressao-a-mulheres/

42 visualizações